terça-feira, 18 de março de 2014

DOENÇAS

Doenças
Apesar das medidas preventivas, pode acontecer que os animais fiquem doentes. Muitas das doenças podem ser combatidas por medicamentos receitados pelo veterinário. Caso conheça medicamentos locais para tratar galinhas também os pode experimentar nos patos.
Uma medida preventiva usada habitualmente na Índia é misturar alho na ração dos patos. Para tal a receita é de um dente de alho por pato, diariamente. A curcuma também tem as mesmas propriedades. Ambos estes condimentos podem afetar o gosto da carne e dos ovos. Não os utilize, por isso, em grandes quantidades.
Em seguida descreveremos as doenças mais comuns nos patos. Pretendemos, com isso, fornecer uma indicação dos principais sintomas, para que possa perceber do que não vai bem com os seus patos. Caso os problemas de saúde sejam graves ou se alguns problemas se tornem a manifestar regularmente, nesse caso deverá recorrer à ajuda de um veterinário.
Botulismo
Caso ocorra botulismo num bando de patos, muitos deles ficarão, rapidamente, paralisados e morrerão. Na primeira fase da doença o pescoço e as pernas paralisam rapidamente. Um sinal precoce que permite reconhecer a doença é que o pato contaminado pendurará a sua cabeça para baixo, para o chão por que não a poderá erguer. Quando a paralisia ataca todo o corpo, o animal morre passado poucas horas.
 Causas e tratamento
O botulismo é causado por comida que se encontra estragada. O botulismo é causado por bactérias que se encontram nos restos de plantas putrefatas, restos de cadáveres de animais e na água estagnada.
O risco de botulismo é maior quando o tempo permanece quente durante um período longo na medida em que as bactérias têm mais condições para se reproduzirem. A melhor maneira de evitar que os patos apanhem a doença é impedindo-os de entrar em contacto com cadáveres de animais em decomposição ou comida putrefata.
Após ter sido diagnosticada a doença nos patos ainda é possível administrar-lhe um medicamento emético (que provoca vômitos) e deste modo se libertem da comida estragada que estava no seu estômago.Deverá ser muito cuidadoso ao fazer isto, proteja-se a si próprio usando luvas.
ATENÇÃO: O botulismo também afeta os seres humanos e, assim, as pessoas em contacto com os patos arriscam-se a contrair a doença!
Infelizmente os patos ficam doentes e morrem tão rapidamente com o botulismo que, muitas das vezes, esta medida quando é tomada já é demasiado tarde.
É preciso eliminar o mais rapidamente possível os animais mortos e limpar muito bem os abrigos. A desinfecção dos abrigos poderá ser feita juntando um pouco de Dettol à água da limpeza. Também nesse caso tome precauções e utilize vestuário de proteção e luvas!
Cólera aviária (pasteurelose)
Todos os patos, qualquer que seja a sua idade, podem contrair a cólera aviária. Os patos contaminados começam por se tornar apáticos e com 60 Criação de patos nas regiões tropicais falta de energia. Perdem o apetite, mas bebem mais que os animais que se encontram em boa saúde, sacodem muito a cabeça e as suas fezes são líquidas e têm uma cor amarelada ou esverdeada. Os seus olhos estão úmidos e as suas narinas contêm um líquido viscoso.
Causas e tratamento
A cólera aviária é transmitida de pato para pato através do líquido que escorre das suas narinas e cai na comida. Os animais saudáveis são contaminados quando comem. É possível vacinar cada ano os patos contra a cólera. É uma maneira de prevenir a contaminação.
Caso mesmo assim contraiam a doença poder-se-á administrar medicamentos para a combater. Nesse caso é preciso avisar o veterinário. Esta doença propaga-se muito rapidamente e a taxa de mortalidade é elevada (5-35%). Nem sempre se conseguem obter medicamentos.
Nesse caso é necessário tomar outras medidas. Os animais doentes têm que ser abatidos e eliminados (queimando-os ou enterrando-os). É preciso limpar bem os abrigos e as áreas adjacentes e, eventualmente, desinfetá-las com Dettol que se adiciona à água de limpeza. Caso o abrigo não seja bem desinfetado corre-se o risco que a doença permaneça e contamine os patos saudáveis.
Também se poderá mitigar os sintomas da cólera aviária. Na Índia utiliza-se correntemente a receita seguinte (para 10 animais):
*  Misture 7 a 10 dentes de alho esmagados na comida. Utilize durante 2-3 vezes por dia até que a diarréia  pare.
* Triture 10 gr de gengibre fresco e esprema o sumo. Misture-o com 250 ml de água e 10 gr de açúcar castanho. Dar esta mistura a beber aos patos.
Estas proporções são suficientes para dar de beber a 10 animais.
* Corte 5 piri-piris vermelhos (capsicum annum) em pedacinhos pequenos e misture-os na comida.
Intoxicação com bagaço de amendoim (cirrose do fígado/ aflatoxicose / micotoxicose)
Os sintomas aparecem sobretudo nos patos jovens, que crescem muito lentamente e as penas não se formam bem. Também podem surgir edemas (inchaços causados por retenção de água). As patas e as solas das patas apresentam sinais de atrofia. O fígado destes patinhos torna se gordo e duro. Vê-se bem esta gordura esbranquiçado-amarelada quando se abre os animais mortos. Muitos patinhos morrem com esta doença, apesar dos sintomas poderem não se manifestar nos patos adultos.
Causas e tratamento
Esta doença é causada por aflatoxina, uma substância venenosa que se encontra por vezes no amendoim e seus derivados (p.e. bagaço de amendoim). Não existem medicamentos para tratar esta doença. A única maneira de a prevenir é evitar que os patinhos comam amendoim ou seus derivados. É, pois, necessária muita precaução no caso de se cultivar amendoim.
Hepatite viral
A hepatite viral é uma doença que só afeta os patinhos. Trata-se de uma doença altamente contagiosa que se propaga rapidamente. Os patinhos infectados ficam mal muito rapidamente e morrem. Os patinhos com hepatite viral andam desengonçadamente e o seu bico e a pele das pernas torna-se azul. Poucas horas após terem aparecido os primeiros sintomas os patinhos caem de lado e ficam com espasmos musculares. Nas fases finais da doença as pernas ficam esticadas para trás e a cabeça inclina-se para o dorso. A taxa de mortalidade pode atingir os 80-95%. Internamente, o fígado incha e pode-se constatar uma pequena hemorragia interna. Pode acontecer que os rins também inchem.
A hepatite viral também pode ser reconhecida na morte rápida de patinhos com três semanas de idade.
Causas e tratamento
A doença é causada por um vírus. Uma boa higiene pode prevenir a doença mas também existe uma vacina como medida preventiva. Os patinhos podem ser vacinados, assim como a mãe pata. As mães que receberam a vacina transferem a sua imunidade através de anticorpos à gema do ovo. Estes anticorpos protegem os patinhos durante três semanas depois de terem saído do ovo. Depois que a imunidade parental termina eles não são mais susceptíveis a contrair a doença, na medida em que a mesma não afeta animais com mais de três semanas. Caso pretenda vacinar as mães patas e os patinhos, contate o seu veterinário.
Coccidiose
A coccidiose é uma doença desconhecida em algumas regiões, enquanto que em outras é a causadora da morte de 20-70% dos patinhos de 3-7 semanas. Para além da elevada taxa de mortalidade, os patinhos que sobrevivem têm um crescimento deficiente e como adultos têm um peso inferior ao patos que não estiveram doentes.
A quando do surgimento da doença não se registam praticamente sintomas (visíveis). Eventualmente podem-se observar os seguintes sinais:
* desidratação, perda de peso e dificuldade em ficarem de pé. A única maneira de se certificar da existência da doença é retalhar um  patinho morto e examinar o seu interior. No meio do intestino há uma camada de mucosidade com pontos sanguíneos. Com a ajuda de um microscópio é possível ver organismos em forma de banana dentro do
estômago.
Tratamento
Uma vez que os patinhos tenham sido contaminados com a doença há pouco que se possa fazer para os tratar e curar. Existem medicamentos Cuidados sanitários preventivos da coccidiose, que podem ser misturados na comida. Consulte o seu veterinário a este propósito.